NOTÍCIAS


Uma semana após decreto de prisão, homem investigado pela morte da ex-namorada em Lorena segue foragido



O crime aconteceu no dia 16. Na última segunda-feira (18), a Justiça decretou a prisão de Luiz Guilherme Costa de Oliveira, apontado pela polícia como principal suspeito de matar a vítima. Luiz Guilherme de Oliveira, de 22 anos, é investigado pela Polícia Civil por possível envolvimento no caso Arquivo Pessoal Uma semana após ter a prisão decretada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), o jovem apontado pela Polícia Civil como principal suspeito de ter espancado a ex-namorada até a morte, em Lorena (SP), segue foragido. ✅ Clique aqui para seguir o canal do g1 Vale do Paraíba e região no WhatsApp O caso aconteceu durante a madrugada do dia 16 de fevereiro. Elda Mariel Aquino Fortes, de 29 anos, foi encontrada morta com sinais de violência dentro da própria casa. O crime comoveu a região – leia mais detalhes abaixo. Na última segunda-feira (18) – dois dias depois do crime – a Justiça decretou a prisão temporária Luiz Guilherme Costa de Oliveira, de 22 anos. Segundo a Polícia Civil, ele é o principal suspeito do caso, que foi registrado como feminicídio. Após uma semana de buscas, porém, ele segue foragido. A Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou que não há novidades nas investigações. Elda Mariel Aquino Fortes foi espancada com socos no rosto e um golpe ‘mata-leão’ Arquivo pessoal O g1 apurou que o rapaz ainda não foi encontrado e que a Polícia Civil tem trabalhado para levantar pistar de onde ele possa estar. Os trabalhos seguem. No boletim de ocorrência para o caso, Luiz Guilherme foi registrado como investigado. No dia do crime, policiais chegaram a ir até a casa dele e outros dois endereços de Lorena, mas não o encontraram. Quem segue aguardando por novidades é a mãe da vítima, Valéria Fortes. Foi ela quem encontrou o corpo da filha após o crime. De acordo com Valéria, a prisão do suspeito causaria um certo alívio na família. “Foi uma semana extremamente longa. Além da dor, tive que correr atrás de diversos procedimentos burocráticos, como a guarda dos meus netos. É tudo muito recente ainda, mas espero que a Justiça seja feita e que o caso sirva como uma luta. A medida protetiva não adianta nada”, afirma. O g1 não conseguiu localizar a defesa do homem foragido. A matéria será atualizada caso ele se manifeste. LEIA TAMBÉM: Mulher é morta espancada em Lorena Quem é a vítima do feminicídio ‘Matou minha filha dentro da minha casa’, diz mãe da vítima Justiça decreta prisão temporária de homem investigado pelo crime Em troca de mensagens, amiga alertou mulher que morreu espancada Polícia investiga morte de mulher em Lorena O caso O caso aconteceu na madrugada do dia 16 de fevereiro, na rua Conselheiro Rodrigues Alves, região central de Lorena. O corpo de Elda foi encontrado pela mãe dela em uma edícula no fundo da casa da família. A mulher tinha várias lesões no rosto e sinais de asfixia causados possivelmente por um golpe ‘mata-leão’. O pescoço estava quebrado. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado e constatou a morte no local. O corpo foi levado para o Instituto Médico Legal (IML), onde passou por exames de necropsia. O enterro aconteceu no domingo (17). “O que mais me dói é que ele matou minha filha dentro da minha casa. Ele matar em qualquer lugar já doeria muito. Mas dentro da minha casa me dói dobrado, porque eu estava aqui. Ele foi um covarde” Elda deixou dois filhos – um de 14 anos e um de três. A criança de três é fruto do relacionamento da mulher com o ex-companheiro investigado pelo crime. Medida protetiva Em janeiro deste ano, Elda havia registrado um boletim de ocorrência contra Luiz Guilherme por ameaça, violência doméstica e perseguição. A vítima também já havia solicitado e conseguido uma medida protetiva de urgência conta ele. Troca de mensagens Em uma troca de mensagens na madrugada do dia 16, uma amiga mostrou preocupação com a segurança de Elda. A conversa em um aplicativo de celular aconteceu após as duas saírem de uma casa noturna de Guaratinguetá, cidade vizinha de Lorena. O g1 teve acesso às mensagens e reproduz os principais trechos abaixo: Em mensagem às 4h57, a amiga pergunta se Elda já estava em casa e pediu a ela que não saísse com o ex-namorado. Reforçou ainda que Elda a avisasse quando chegasse em casa. Veja abaixo: Em troca de mensagens, amiga alertou mulher que morreu espancada em Lorena: ‘Tô preocupada com você’ Arte/Reprodução Dez minutos depois, a amiga voltou a demonstrar preocupação por Elda. A última mensagem foi enviada às 5h23 e não teve resposta. Veja abaixo: Em troca de mensagens, amiga alertou mulher que morreu espancada em Lorena: ‘Tô preocupada com você’ Arte/Reprodução Por volta das 13h, de acordo com o boletim de ocorrência, a mãe de Elda encontrou a filha em uma edícula nos fundos da casa onde mora. Em entrevista à Rede Vanguarda, a amiga contou que achou que a amiga havia parado de responder por falta de bateria no celular. “Eu acreditei que o celular dela tinha descarregado e ela tinha dormido. Aí acordei de manhã com a mãe dela me ligando, várias pessoas me ligando. Fui falar com a mãe dela primeiro. Liguei e falei: ‘Oi, Tia. Está tudo bem? A Elda está bem”. E ela respondeu: ‘Não. A Elda está morta’. Elda Mariel Aquino Fortes foi espancada com socos no rosto e um golpe ‘mata-leão’ Arquivo pessoal

Fonte: G1


25/03/2024 – Prata FM Vale

COMPARTILHE

SEGUE A @PRATAFMVALE

NO AR:
CLÁSSICOS - PRATA FM VALE