NOTÍCIAS


Temporada das jubartes: Baleias já são vistas no litoral de SP, que deve receber mais de mil em 2024



Todo ano as baleias-jubarte passam pelo Litoral Norte do estado, com destino à Bahia, onde se reproduzem. Os animais são considerados acrobáticos e dão show no mar. Temporada aberta: mais de mil baleias-jubarte devem passar pelo litoral de SP até o fim do ano Rafael Mesquisa Destino de milhares de turistas ao longo do ano, o Litoral Norte de São Paulo começa a receber agora outros visitantes ilustres: as baleias-jubarte, que todo ano passam pela costa da região. Especialistas apontam que as primeiras aparições acontecem em abril, mas se intensificam em maio, quando se dá o início da temporada. Junho e julho são o pico da passagem das baleias – os meses com o maior número de animais no litoral paulista. ✅ Clique aqui para seguir o canal do g1 Vale do Paraíba e região no WhatsApp Temporada aberta: mais de mil baleias-jubarte devem passar pelo litoral de SP até o fim do ano Rafael Mesquita O grupo começa a ir embora em agosto, e as últimas aparições são registradas em novembro. Até lá, a expectativa é que mais de mil baleias-jubartes passem pela região. Na temporada do ano passado, o Viva Instituto Verde Azul – projeto dedicado ao estudo e preservação dos animais marinhos – registrou a passagem de 1.172 baleias-jubartes na região. O instituto fica em Borrifos, no sul de Ilhabela. “O movimento ainda está fraco, mas até junho se intensifica muito. Por enquanto chegaram cerca de sete baleias. Uma delas, inclusive, foi vista presa à petrechos de pesca. Estamos trabalhando com outros grupos para fazer a retirada desses petrechos”, afirma a bióloga e pesquisadora do grupo Marina Leite. Temporada aberta: mais de mil baleias-jubarte devem passar pelo litoral de SP até o fim do ano Rafael Mesquita Os animais passam por todo o Litoral Norte de São Paulo, como por exemplo Borrifos, onde fica o observatório do Viva Instituto Verde Azul. Neste ano, as baleias-jubarte já passaram também pela região das praias Barra do Sahy e Juquehy, em São Sebastião. Na última quinta-feira (9), um fotógrafo da região registrou o encontro de uma das jubartes com um grande cardume de raias – assista o vídeo abaixo: Fotógrafo flagra baleia-jubarte nadando no meio de cardume de raias no litoral de SP As jubartes são animais de porte grande, com média de 16 metros e mais de 40 toneladas. Elas vivem 60 e 80 anos e não são consideradas agressivas – não há até hoje registro de ataques contra humanos. Mesmo assim, há uma série de orientações que devem ser seguidas no turismo de observação – leia abaixo. Caminho Segundo a biólogas, as baleias-jubarte são cosmopolitas – estão presentes em diversos locais do mundo. Um dos grupos fica cerca de cinco meses na costa brasileira. Todo ano eles deixam a região da Antártica com destino ao mar do Nordeste, onde se reproduzem. “Existem diversos grupos no mundo. Esse grupo que passa pelo Litoral Norte de São Paulo sai da região da Antártica, onde se alimenta, durante o período do nosso verão. Depois, as jubartes vão em direção ao litoral da Bahia para se reproduzirem em águas mais quentes. É durante esse caminho que elas passam pela região. Ficam cerca de cinco meses nas águas do Brasil e são mais de quatro mil quilômetros percorridos por ano”, explica a especialista. Temporada aberta: mais de mil baleias-jubarte devem passar pelo litoral de SP até o fim do ano Rafael Mesquita Marina explica que os animais vivem em um ciclo e, por isso, todo ano passam pela região do litoral de São Paulo a partir do meio do ano. “As jubartes copulam aqui e a gestação dura em média 11 meses. Então se um indivíduo copular neste ano, é muito provável que ele volte no ano que vem já com o filhote. Isso é muito interessante de observar. Os filhotes nascem aqui no Brasil. Consideramos eles brasileiros.” Aumento da população As pesquisas envolvendo baleias-jubarte no Brasil mostram que a população desse animal tem aumentado cada vez mais no país. A bióloga explica que essa alta se dá por conta da proibição da caça, em 1985. “Há 100 anos, o litoral paulista era cheio de baleias, mas a caça aumentou muito e os animais começaram a desaparecer. Com a proibição, temos registrado cada vez mais indivíduos”, explica. Temporada aberta: mais de mil baleias-jubarte devem passar pelo litoral de SP até o fim do ano Rafael Mesquita De acordo com o instituto, a estimativa é que antes da caça existiam mais de 30 mil jubartes no país. Com a prática, o número caiu para menos de mil, antes dos anos 2.000. Após a proibição, a população aumentou para 25 mil atualmente. “São números muito positivos, tanto que hoje as jubartes não são mais animais considerados ameaçados de extinção. Mas hoje temos outras preocupações, como a poluição.” Turismo de observação A passagem das baleias intensifica o turismo no Litoral Norte de São Paulo. São Sebastião e Ilhabela contam com diversas agências que organizam passeios e levam turistas em embarcações no mar para observar os animais. De acordo com Marina Leite, as jubartes estão entre os animais mais legais de se observar, pois gostam de saltar. Com isso, é fácil vê-las. “As jubartes são muito acrobáticas. Elas saltam, soltam bolhas, batem a nadadeira. Chegam a tirar o corpo inteiro de água. É muito legal. É interessante porque ela é tão carismática que as pessoas adoram e mudam o comportamento em relação ao meio-ambiente. A partir do momento que conhecem os animais, se sensibilizam e passam a cuidar mais da natureza”, diz Leite. Temporada de baleias jubarte no Litoral Norte de SP começa em junho e intensifica turismo Frank Santos Apesar disso, é preciso ter muito cuidado e seguir as orientações de especialistas para que os animais não sejam incomodados durante a estadia no litoral. De forma geral, as principais regras são: manter a rota de navegação da baleia livre estar sempre do lado delas, nunca atrás ou à frente velocidade máxima de cinco nós para os barcos distância mínima de 100 metros para os barcos deixar o motor em neutro e não desligado são permitidos até dois barcos simultaneamente o tempo máximo permitido com a baleia é de 30 minutos cuidado para não provocar encalhes não separar os animais do grupo evitar ruídos altos não jogar qualquer tipo de objeto na água não mergulhar

Fonte: G1


12/05/2024 – Prata FM Vale

COMPARTILHE

SEGUE A @PRATAFMVALE

NO AR:
ALÔ BOM DIA 1ªED - PRATA FM VALE