NOTÍCIAS


Onda de calor: Taubaté bate 35,3°C e quebra recorde de dia mais quente do ano, segundo Inmet



Cidade chegou aos 35,3°C nesta sexta-feira (15), marcando a maior temperatura do ano. Apesar disso, a expectativa dos meteorologistas é que o pico de calor aconteça entre sábado (16) e domingo (17). Calor em Taubaté, SP Lucas Tavares/g1 Em meio a uma onda de calor, Taubaté (SP) quebrou o recorde de temperatura neste ano ao chegar aos 35,3°C durante a tarde desta sexta-feira (15). ✅ Clique aqui para seguir o canal do g1 Vale do Paraíba e região no WhatsApp De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a estação meteorológica localizada na cidade alcançou essa temperatura por volta das 16h. Até então, a temperatura máxima registrada em Taubaté no ano havia sido de 35,2ºC, no dia 10 de janeiro. Além disso, o índice igualou a maior temperatura registrada em março na cidade desde 2017, quando foram instaladas as estações meteorológicas automáticas. Segundo o Inmet, os mesmos 35,3°C foram registrados em março de 2022. Ainda segundo o Inmet, o dia mais quente para março em Taubaté, desde que houve início as medições pelo Inmet em 1961, foi de 36,2°C, temperatura atingida em março de 2012. Na data, a registro foi feito por estações meteorológicas convencionais (sem ser automática). Vale ressaltar ainda que, segundo a expectativa de meteorologistas, o pico da onda de calor deve acontecer no fim de semana, entre sábado (16) e domingo (17) – leia mais detalhes abaixo. Confira a previsão do tempo para esta sexta-feira Outras cidades chegam perto do recorde Além de Taubaté, o Inmet conta com estações meteorológicas em pelo menos mais três cidades da região – Campos do Jordão, Cachoeira Paulista e Bragança Paulista. As três cidades chegaram perto de bater o recorde de temperatura do ano na tarde desta sexta-feira (15). Confira: Campos do Jordão registrou 27,7ºC. O recorde da cidade no ano é de 27,8°C, no dia 18 de janeiro Cachoeira Paulista registrou 35,1ºC. O recorde da cidade no ano é de 35,7°C, no dia 17 de janeiro Bragança Paulista registrou 33,6ºC. O recorde da cidade no ano é de 34,5°C, no dia 18 de janeiro Sol em São José dos Campos Claudio Vieira/PMSJC Pico da onda de calor Com temperaturas que podem chegar na casa dos 38°C, o pico da onda de calor que atinge todo o Vale do Paraíba e região bragantina será neste fim de semana (o último do verão), entre sábado (16) e domingo (17). Até quinta-feira (14), um alerta para a condição – emitido pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) – incluía 28 cidades da região. Agora, um novo alerta, que segue até domingo (17), é válido para as 46 cidades do Vale do Paraíba, Litoral Norte, Serra da Mantiqueira e região bragantina. Onda de calor no Vale do Paraíba Reprodução/Inmet Segundo o meteorologista Giovanni Dolif, do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), as maiores temperaturas dessa onda de calor – e possivelmente do ano até aqui – serão entre sábado e domingo. “O pico vai ser no fim de semana, provavelmente na tarde de domingo. A média das temperaturas máximas em março na região é de 30°C. No fim de semana deve bater pelo menos 35°. Justamente por isso se trata de uma onda de calor”, explica. No painel de alertas do Inmet, o aviso para onda de calor aparece como ‘perigo potencial’. Isso acontece quando a condição eleva as temperaturas em pelo menos de 5° acima da média para o período durante dois ou três dias. Calor forte em Caraguatatuba (SP) José Eymard/TV Vanguarda Maiores cidades do Vale do Paraíba, São José dos Campos e Taubaté podem chegar a 37°C no fim de semana. Caraguatatuba, no Litoral Norte, tem máxima prevista de 38°C. Na região bragantina, Bragança Paulista e Atibaia podem ter 34°C no sábado e no domingo. Conhecida pelas temperaturas mais baixas, a Serra da Mantiqueira tem máxima de 27°C, em Campos do Jordão. Leia mais notícias do Vale do Paraíba e região Confira a previsão do tempo desta sexta-feira (15) Causas do calorão O motivo para a temperatura acima da média – condição que se repetiu com frequência no ano passado – é a atuação de um sistema de alta pressão sobre a região do Vale do Paraíba. Esse sistema, que se formou no Centro-sul do Brasil, mas atinge toda a região Sudeste do país, inibe a formação de nuvens carregadas, o que diminui a possibilidade de chuvas fortes, como as que aconteceram em Ubatuba na última semana. “Sem nuvens não tem chance de chuva e, além disso, os raios solares conseguem penetrar com mais facilidade no chão. E vale lembrar que ainda estamos no Verão, então o sol é mais forte, tem mais energia. Tudo isso colabora para o aumento das temperaturas”, afirma Dolif. Calor forte no país Renato S. Cerqueira/Futura Press/Estadão Conteúdo

Fonte: G1


15/03/2024 – Prata FM Vale

COMPARTILHE

SEGUE A @PRATAFMVALE

NO AR:
ALÔ BOM DIA 1ªED - PRATA FM VALE