NOTÍCIAS


Mãe e filha trocaram mensagens antes de queda de helicóptero em SP: 'Deus sabe de tudo'



Troca de mensagens aconteceu minutos após Letícia Rodzewics enviar foto da aeronave pousada próximo à represa, em Paraibuna (SP), ao namorado. Troca de mensagens aconteceu no dia 31 de dezembro, durante o voo rumo à Ilhabela, no litoral de SP Arquivo pessoal Luciana e Letícia Rodzewics, mãe e filha que morreram após o helicóptero em que elas estavam, rumo à Ilhabela (SP), cair em uma área de mata em Paraibuna (SP) no dia 31 de dezembro, trocaram mensagens por celular antes do acidente. Os quatro tripulantes morreram. ✅ Clique aqui para seguir o canal do g1 Vale do Paraíba e região no WhatsApp O registro das mensagens ao qual o g1 teve acesso é de 14h11 do dia 31 de dezembro e estavam no aparelho celular de Luciana. As mensagens foram registradas dois minutos depois de Letícia enviar ao namorado uma foto do pouso feito pela aeronave modelo Robinson R44 em Paraibuna. Queda de helicóptero será investigada como homicídio culposo No texto, Luciana diz à filha que ‘Deus sabe de tudo’ e que também estava feliz. A filha, em seguida, diz para a mãe relaxar. — Deus sabe de tudo. — Estou feliz também. — Sim, mãe. — Relaxa. O diálogo é a última troca de mensagens feita entre Luciana e Letícia pelo aplicativo. Parentes buscam objetos de vítimas de queda de helicóptero Investigação O helicóptero que caiu em Paraibuna, no interior de São Paulo, após decolar do Campo de Marte no último dia 31, colidiu com a vegetação em área de mata. É o que aponta o relatório preliminar divulgado pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa). Segundo o órgão, os trabalhos relativos à ocorrência ainda estão em andamento. No histórico, o Cenipa cita que a aeronave modelo Robinson 44, prefixo PR-HDB, decolou do Campo de Marte com destino à Ilhabela, no litoral norte paulista. “A aeronave decolou do aeródromo Campo de Marte (SBMT), São Paulo, SP, com destino ao heliponto Maroum (SJDO), Ilhabela, SP, com um tripulante e três passageiros a bordo, a fim de realizar voo privado. Durante o voo, a aeronave colidiu com a vegetação em área de mata do município de Paraibuna, SP”, diz o relatório. Destroços com identificação do helicóptero encontrado no dia 12 de janeiro de 2024 pela Força Aérea Brasileira na cidade de Paraibuna, no interior de São Paulo Divulgação A aeronave foi localizada em uma fazenda, em região de difícil acesso. O local fica a 11 quilômetros de onde ele chegou a pousar, em Paraibuna, e a 100 de distância do Campo de Marte, de onde ele decolou no dia 31 de dezembro. Ilhabela, que seria o destino da aeronave, fica a 42 km do ponto da queda. A localização da aeronave foi informada pela Polícia Militar de São Paulo pelas redes sociais. Na postagem, a PM afirmou que a aeronave foi encontrada pelo Águia 24. Os destroços do helicóptero foram localizados em meio a árvores. Helicóptero que desapareceu em SP é encontrado na cidade de Paraibuna VEJA TAMBÉM: Helicóptero que caiu em área de mata em SP ficou completamente destruído Do pouso até acidente: qual foi a trajeto feito pela aeronave Saiba quem são as vítimas de queda de helicóptero 12 dias de buscas A aeronave não fez contato desde 31 de dezembro, um domingo, e mobilizou uma busca que envolveu Força Aérea Brasileira, Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros de São Paulo. O helicóptero deixou a capital paulista no último dia de 2023 com quatro ocupantes para passar o réveillon em Ilhabela, mas não chegou ao local de destino. Desde então, era procurado pelas autoridades. Duas aeronaves da FAB cumpriram mais de 135 horas de voo ao longo dos 12 dias de buscas, que teve área total de cinco mil quilômetros quadrados. Aeronaves da Polícia Militar e Polícia Civil também integraram as buscas. Acidente com helicóptero em Paraibuna Arte/g1 Os trabalhos se concentraram na região da Serra do Mar, entre o Vale do Paraíba e o Litoral Norte. Cidades como Paraibuna – onde a aeronave foi encontrada – Natividade da Serra, Redenção da Serra, Salesópolis e Caraguatatuba foram sobrevoadas ao longo dos 12 dias de buscas. O g1 apurou que os ocupantes do helicóptero eram: Luciana Rodzewics, de 45 anos; Letícia Ayumi Rodzewics Sakumoto, de 20 anos (filha de Luciana); Raphael Torres, 41 anos (amigo de Luciana e Letícia); Cassiano Tete Teodoro, de 44 anos (o piloto). Ocupantes do helicóptero que estava desaparecido em São Paulo Reprodução/TV Globo Homicídio culposo A Polícia Civil informou que a queda do helicóptero em uma área de mata, em Paraibuna (SP), foi registrada como homicídio culposo, quando não há intenção de matar. No boletim de ocorrência do caso, ao qual o g1 teve acesso, consta que o piloto do helicóptero, Cassiano Tete Teodoro, foi incluído como autor e vítima do homicídio culposo. Além disso, a polícia registra no boletim de ocorrência que três dos quatro corpos do acidente aéreo foram encontrados presos à fuselagem da aeronave. O quarto corpo foi localizado em área de mata. “Na mata, foram localizados destroços da aeronave PR-HDB e 3 cadáveres presos à fuselagem do helicóptero. O quarto corpo foi localizado próximo aos escombros, em área de mata”, diz um trecho do documento. Equipes de resgate retiram por terra corpos das vítimas de helicóptero em SP Três celulares foram apreendidos e serão usados na investigação – os aparelhos de Luciana Rodzewics, de 45 anos, Letícia Ayumi Rodzewics Sakumoto (filho de Luciana, de 20 anos, e do piloto Cassiano, que tinha 44 anos. A polícia apreendeu também uma bolsa preta e um fraco de perfume, além de documentos de identidade e cartões bancários que estavam com o nome da passageira Letícia. Em nota, a Secretaria da Segurança Pública informou que “a autoridade policial aguarda os resultados dos laudos, ainda em elaboração, para esclarecer os fatos”.

Fonte: G1


22/01/2024 – Prata FM Vale

COMPARTILHE

SEGUE A @PRATAFMVALE

NO AR:
MADRUGADA SERTANEJA - PRATA FM VALE