NOTÍCIAS


Famílias de passageiras e piloto de helicóptero desaparecido em SP contratam mateiros e usam drones para reforçar buscas



Aeronave com três passageiros e um piloto deixou São Paulo no dia 31 de dezembro com destino a Ilhabela, mas não chegou no local. Buscas seguem há 10 dias. Famílias das vítimas de helicóptero reforçam as buscas Parentes das duas passageiras e do piloto do helicóptero que desapareceu após deixar São Paulo no dia 31 de dezembro contrataram mateiros para fazer buscas por terra pela aeronave. Eles também contam com serviço de drone para auxiliar o trabalho. Além deles, os parentes do quarto ocupante do helicóptero, o empresário Raphael Torres, de 41 anos, também fazem buscas por conta própria. ✅ Clique aqui para seguir o canal do g1 Vale do Paraíba e região no WhatsApp Helicóptero que desapareceu com 4 pessoas a caminho do Litoral Norte de SP André de Sousa A aeronave desapareceu após decolar da capital paulista no último dia do ano com destino a Ilhabela, no Litoral Norte do estado, mas não chegou ao local de destino. As buscas chegaram ao 10° dia nesta quarta-feira (10) – leia mais detalhes abaixo. Na terça-feira (9), parentes e amigos do piloto Cassiano Tete Teodoro e das passageiras Luciana Rodzewics e Letícia Ayumi Rodzewics Sakumoto (filha de Luciana) se uniram e decidiram concentrar as tentativas localizar o helicóptero por conta própria em Natividade da Serra. Luciana Rodzewics, de 45 anos; a filha dela, Letícia Ayumi Rodzewics Sakumoto, de 20 anos estavam na aeronave. Arquivo pessoal As buscas por terra acontecem mais precisamente no bairro Pachi, que fica na zona rural da cidade, onde moradores da região alegam ter visto a aeronave sobrevoar. A operação conta com a ajuda de mateiros e serviços de drone, que foram contratados por advogados e familiares do piloto. “As buscas estão sendo feitas, mas o local é muito grande. Todo mundo está se desdobrando para encontrar (o helicóptero). A família do Cassiano tem certeza que vai encontrar ele com vida e que ele tinha capacidade de fazer o pouso, que ele fez e que ele está perdido na mata cuidando do pessoal”, afirma a advogada que representa Cassiano, Thais Gianlourenço. Helicóptero desaparecido: Famílias de passageiras e piloto contratam mateiros e usam drones para reforçar buscas Reprodução/TV Vanguarda Não há previsão para que a procura seja encerrada. O tamanho da área de buscas assustou a irmã da passageira Luciana, Sílvia Santos. “Estou vendo que é impossível. Só um milagre de Deus, mas para ele nada é impossível. A mata é muito grande, muito alta. Vendo de casa a gente não tem noção do tamanho disso tudo. É angustiante, dói. Eu estava confiante em encontrar os quatro com vida, mas o tempo está passando”, conta. Silvia Santos, irmã e tia de passageiras que estavam no helicóptero desaparecido em SP Rauston Naves/TV Vanguarda Buscas As buscas das forças de segurança pelo helicóptero que desapareceu com quatro pessoas seguem pelo 10° dia. A aeronave não faz contato desde o dia 31 de dezembro. Segundo a Força Aérea Brasileira (FAB), que está no comando das buscas, as aeronaves já cumpriram cerca de 90 horas de voo nas buscas pelo helicóptero desaparecido. A área total de buscas é de cinco mil quilômetros quadrados. Buscas do avião da FAB foram concentradas nas cidades de Paraibuna, Redenção da Serra e Natividade da Serra Reprodução/Flighradar24 Ao longo desta semana, as buscas envolveram a Força Aérea Brasileira, a Polícia Militar e a Polícia Civil. Nesse sábado (6), policiais civis instalaram uma base operacional em Paraibuna e começaram a utilizar drones para auxiliar nas buscas. Um objetivo suspeito foi identificado no meio da mata, mas, foi constatado que se tratava de um tronco de árvore. Força Aérea faz buscas por helicóptero com 4 pessoas que saiu de SP e desapareceu a caminho do Litoral Norte. Arte/g1 A polícia encontrou o local em que o helicóptero fez um pouso de emergência antes de retomar voo e desaparecer. No entanto, não foram encontrados vestígios do helicóptero ou das pessoas na área, em Paraibuna. Polícia Civil utiliza drones para buscar helicóptero desaparecido em São Paulo Rauston Naves/TV Vanguarda O g1 apurou que os ocupantes do helicóptero são: Luciana Rodzewics, de 45 anos; Letícia Ayumi Rodzewics Sakumoto, de 20 anos (filha de Luciana); Raphael Torres, 41 anos (amigo de Luciana e Letícia); Cassiano Tete Teodoro, de 44 anos (o piloto). A aeronave saiu da capital paulista com destino a Ilhabela, mas perdeu o contato com as torres de comando. De acordo com a Polícia Militar, que deu apoio nas buscas, a aeronave desaparecida saiu do aeroporto de Campo de Marte, em São Paulo, no dia 31 de dezembro, por volta das 13h15, com destino a Ilhabela. Luciana Rodzewics, de 45 anos; a filha dela, Letícia Ayumi Rodzewics Sakumoto, de 20 anos estavam na aeronave. Arquivo pessoal Ao g1, a irmã da passageira Luciana informou que eles planejavam fazer um bate-volta para Ilhabela. Ela alega que Raphael é amigo do piloto e convidou a Luciana e a filha para esse passeio. Não era, segundo ela, um passeio contratado. O empresário Raphael Torres é um dos passageiros do helicóptero que sumiu em São Paulo Arquivo pessoal Às 22h40, foi gerado um alerta para o Comando de Aviação e para o Corpo de Bombeiros, já que não havia registro de pouso da aeronave ou possibilidade de contato com o piloto. O helicóptero que desapareceu possui o prefixo PRHDB, modelo Robinson 44, e é pintado de cinza e preto. Antes de helicoptero desaparecer, passageira enviou vídeo para namorado: ‘Tempo ruim’ Enquanto estava voando a caminho de Ilhabela (SP), Letícia enviou um vídeo para o namorado, mostrando o voo e afirmou que o tempo estava ruim – assista acima. Nas imagens feitas por Letícia, é possível ver o piloto e o passageiro Raphael Torres, na frente da aeronave. O vídeo mostra que havia muita neblina durante o voo, o que deixou a visibilidade ruim. Segundo a família, essa foi a última vez que a jovem deu notícias.

Fonte: G1


10/01/2024 – Prata FM Vale

COMPARTILHE

SEGUE A @PRATAFMVALE

NO AR:
Ao Vivo - PRATA FM VALE