NOTÍCIAS


Câmara empossa suplentes e volta a ter 10 vereadores após afastamentos em Ubatuba



Benedito Gerônimo dos Santos – ‘Berico’ (PTB), Pastor Sandro (Avante) e Durval Netto (PSL) assumiram os cargos nesta quinta-feira (1º). Câmara de Ubatuba Reprodução/Câmara Municipal Após cinco meses, a Câmara Municipal voltará a ter 10 vereadores em Ubatuba (SP). Isso porque, tomaram posse na tarde desta quinta-feira (1º), três vereadores suplentes na Casa de Leis. Os parlamentares que tomaram posse nesta quinta são: Benedito Gerônimo dos Santos – ‘Beirco’ (PTB), Pastor Sandro (Avante) e Durval Netto (PSL). ✅ Clique aqui para seguir o canal do g1 Vale do Paraíba e região no WhatsApp Os três vereadores assumem o posto no lugar dos vereadores que foram afastados no ano passado: Eugênio Zwibelberg (União), José Roberto Monteiro Júnior (Podemos) e Josué D’Menor (Avante). As sessões ordinárias na Câmara Municipal serão retomadas a partir desta terça-feira (6). Segundo a Câmara, os funcionários da Casa estavam trabalhando em meio período até quarta (31). A partir desta quinta, o expediente voltou ao horário normal. Operação na Câmara A Câmara de Ubatuba afastou, no dia 31 de agosto, três vereadores alvos de uma operação que investiga um suposto esquema de ‘rachadinha’ no Legislativo. São eles: Eugênio Zwibelberg (União Brasil); Josué D’Menor (Avante); Junior Jr (Podemos). Câmara de Ubatuba afasta três vereadores alvos de operação que investiga esquema de ‘rachadinha’ TV Vanguarda/Reprodução A operação Corvêia foi realizada para o cumprimento de 14 mandados de busca e apreensão, sendo três deles nos gabinetes dos vereadores investigados na Câmara de Ubatuba, três na casa dos vereadores alvos da operação e os demais nas casas de servidores comissionados. De acordo com o delegado Tiago Correia, do Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania (DPPC), na operação foram apreendidos celulares, HDs, pen drives, cadernos, documentos e materiais que passarão por perícia e serão usados nas investigações. ▶️Por que operação Corvêia? O nome da operação faz alusão à obrigação do servo, na França medieval, em prestar serviços gratuitos ao senhor feudal. Segundo o delegado, a decisão do juiz, a partir da representação da Polícia Civil e do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), serviu como mandado para a operação. Além da suspensão dos mandatos dos três vereadores, o juiz determinou também que eles estão proibidos de frequentar a Câmara de Ubatuba e de manter contato com testemunhas durante a investigação. Três vereadores são alvo de operação do MP que investiga esquema de ‘rachadinha’ na Câmara de Ubatuba Rauston Naves/TV Vanguarda

Fonte: G1


01/02/2024 – Prata FM Vale

COMPARTILHE

SEGUE A @PRATAFMVALE

NO AR:
ALÔ BOM DIA 1ªED - PRATA FM VALE